• Lucas Ventura

Mahomes comenta o criticismo sofrido por QBs negros na NFL

Na última sexta-feira (29/07), ao ser perguntado em entrevista coletiva após o término dos treinos sobre o que havia achado das críticas recentes que havia recebido de uma fonte anônima vinculada ao site americano the Athletic, Patrick Mahomes foi enfático ao apontar que, mais do que provindas de análises táticas de seu desempenho, eram também fruto de uma cultura racista que, infelizmente, ainda permeia a NFL nos dias de hoje.


Quando foi perguntado se era categorizado distinta apenas por ser negro, Mahomes chamou a atenção dos repórteres para o fato de que tanto ele, quanto Lamar Jackson e Kyler Murray, precisavam constantemente continuar se provando como grandes quarterbacks para que fossem aceitos na liga, apesar do relativo sucesso que já veem conquistando nos últimos anos, além do fato de que esse mesmo tom crítico não é observado com os demais jogadores.


Segundo as palavras do próprio:

“Obviamente que quarterbacks negros estão em constante batalha pela posição de titular; todos os dias temos que provar que a liga está errada e que devíamos ter recebido uma chance na posição desde o princípio; e que não somos apenas uma peça a ser utilizada em campo em virtude de nosso atleticismo. [...] É estranho ver caras como nós tendo que enfrentar isso todos os dias e mostrar que somos os melhores quarterbacks da liga”.

NFL.com

A fala foi incentivada após uma sucessão de críticas e acontecimentos controversos envolvendo os três quarterbacks na semana passada. No artigo publicado na quinta-feira no the Athletic, duas fontes anônimas distintas criticavam Mahomes e Jackson. No caso do quarterback dos Chiefs, o técnico não identificado afirmou que, apesar de talentoso, Mahomes ainda assim convertia o futebol americano em um futebol de rua, em um tom evidentemente racista e marginalista, discriminando o estilo de jogo do jogador.


Já no caso de Jackson, um coordenador defensivo não identificado afirma que não importasse o que acontecesse, mesmo que ganhasse 12 MVPs, ele ainda assim não seria um quarterback de elite – existe talento atlético, mas falta talento para a posição de quarterback em Lamar, o que ele descreve como a razão pela qual os Ravens vêm sofrendo para ir fundo na pós-temporada.


Os comentários em relação a Murray já são mais complexos, e foram estimulados depois da publicação do contrato que ele e o Arizona Cardinals estavam prestes a assinar, o qual incluía uma cláusula que instituía um mínimo de quatro horas de estudos autônomos do quarterback, o que deu a entender que ele não estudava por conta própria, confiando apenas em seu atleticismo.


AP Photo

A cláusula foi definida como “desrespeitosa” por Murray já na quinta-feira, e explicada pela assessoria de imprensa dos Cardinals como apenas uma falha na redação do contrato, e que já havia sido retirada no momento da declaração.


Ao todo, Mahomes, Jackson e Murray contêm um total de oito eleições para o Pro Bowl, 2 MVPs e 2 All-Pro. Juntos, contêm um recorde 109-48-1 como titulares e um Super Bowl, conquistado por Mahomes na temporada 2019, pelo Kansas City Chiefs.

BANNERLATERAL_TRAKTOR.png
BANNERLATERAL_FANATICA.png