• Pedro Zaniol

Como o Green Bay Packers vai suprir a saída de Davante Adams do seu ataque

Quando foi anunciado a troca de Davante Adams para o Las Vegas Raiders, criou-se uma expectativa enorme para o draft do Green Bay Packers. O time enfim iria selecionar um wide receiver na primeira rodada? Que jogador a franquia iria escolher para suceder um dos melhores recebedores da NFL?


No dia do draft, o Packers deu uma resposta de como seria a sua abordagem para substituir a produção de Adams, e não foi o que muitos estavam esperando. Ao invés de tentar subir no draft para pegar um dos melhores prospectos na posição de wide receiver, Green Bay resolveu reforçar o seu elenco como um todo, com dois jogadores de defesa na primeira rodada. Com as outras 9 escolhas que teve, selecionou 3 wide receivers, o principal deles Christian Watson, no início da segunda rodada.


packers.com

Adams, por ser um dos melhores corredores de rotas de toda a NFL, podia ser colocado em qualquer lugar do campo, e Green Bay e o técnico Matt LaFleur aproveitaram muito isso, o recebedor era o alvo principal de quase todas as jogadas de ataque da equipe. Davante recebeu 30.6% dos passes de Rodgers e 34.3% das jardas do time em 2022, é muita coisa para pedir para apenas 1 ou 2 jogadores tentarem reproduzir.


É por isso que a abordagem da franquia é bem clara, para substituir Adams, será necessário um esforço coletivo. E não somente do ataque, a defesa deve ter um papel importante. Desde que chegou em Green Bay em 2019, Matt LaFleur sempre fez times muito equilibrados, com um bom ataque e defesa, em 2019, teve o 15º melhor ataque e a 9ª melhor defesa, em 2020 o 1º ataque e a 13ª defesa e em 2021 o 10º ataque e a 13ª defesa, por isso o recorde de 39 vitórias em 49 jogos.


Com a saída de Adams, é esperado uma regressão a média de Aaron Rodgers e do ataque do Packers, que deve ficar próximo do top 15, por conta disso, com menos pontos feitos no ataque, a defesa deve melhorar, para manter o ótimo aproveitamento de vitórias da franquia.


Já no ataque, chamadas mais equilibradas, em seus 3 anos como treinador, LaFleur sempre chamou mais passes do que corridas, 58% em 2019, 54% em 2020 e 57% na temporada passada. Esse número deve chegar bem mais próximo do meio a meio em 2022, com dois bons running backs em Aaron Jones e AJ Dillon.


Stacy Revere/Getty Images

Nas situações de passe, o time deve focar bastante em passes curtos e de alto aproveitamento, os chamados checkdowns, Rodgers já faz isso, mas deve fazer ainda mais em 2022. Muitos dos seus passes curtos iam para Adams, mas eles não eram necessariamente checkdowns, pois Adams sempre tinha um marcador de olho nele. Mas pelo seu ótimo trabalho de pés, conseguia se desmarcar muito rápido, e o quarterback tinha a sincronia necessária para se aproveitar disso.


Sem ter um recebedor com a categoria de Davante, LaFleur deve desenhar jogadas em que a defesa deixe por opção os running backs e os tight ends com mais espaço. Por conta disso, Jones, Dillon, Tonyan e Deguara devem ver o seu número de recepções aumentar.


Tá, mas em situações de terceira decida longa, onde o passe mais comprido será uma necessidade, quem será o principal alvo? Nesses casos, Allen Lazard deve ser o jogador mais acionado do Packers. Talento por talento, Watson é um jogador mais talentoso e com maior potencial que Lazard, mas situações de terceira descida, jogadas críticas da partida, normalmente os quarterbacks procuram seus alvos mais confiáveis. Rodgers é extremamente perfeccionista, quer saber onde seus recebedores vão estar exatamente, para que seus passes sejam os mais precisos possíveis. Watson ainda não criou essa química com o seu quarterback, vai ser preciso tempo.


Lazard está indo para a sua 5ª temporada em Green Bay, Rodgers já conhece muito bem o jogador, e no final da temporada passada, os dois estavam se entendendo como nunca haviam se entendido. Nos últimos 5 jogos do ano, Lazard teve 21 recepções, 290 jardas, 5 touchdowns e 17 recepções para primeira descida, esses números foram melhores do que ele tinha feito nos 13 primeiros jogos, onde teve 19 recepções, 223 jardas, 3 touchdowns e 11 primeiras descidas.


Bill Kostroun/Associated Press

Além de Lazard, Rodgers vai utilizar de seus recebedores veteranos em Randall Cobb e o recém contratado Sammy Watkins. Watson, Romeo Doubs e Samori Toure, os novatos, devem ser utilizados em passes mais longos e em jogadas na primeira e segunda descidas, lances menos decisivos.


Importante salientar que os times da NFL evoluem e mudam muito durante a temporada, por mérito dos jogadores ou por lesões, enquanto esse deve ser a estratégia utilizada no começo da temporada, nada garante que ela será utilizada até o final, se Watson se mostrar um jogador acima da média, sua produção vai aumentar com o decorrer do ano, o mesmo serve para os outros novatos, a única certeza que se tem, é que não vai ser apenas 1 jogador que vai substituir tudo o que um dos melhores wide receivers da liga fazia para esse time.


E para o torcedor do Packers, acredita que o time consegue manter o alto aproveitamento de vitórias com uma defesa mais forte e correndo com a bola? Ou acha que o time vai cair de patamar com a ausência de Adams? Conte para a gente nos comentários e nos diga também quem você acha que vai ser o principal alvo de Rodgers em 2022.

BANNERLATERAL_TRAKTOR.png
BANNERLATERAL_FANATICA.png