• Pedro Zaniol

Como deve ser o ataque do New York Giants com o novo Head Coach Brian Daboll

Em 2020 e 2021, os dois anos em que Joe Judge foi o treinador principal do New York Giants, o time teve muitos problemas com o seu ataque, em ambos os anos eles foram a segunda pior equipe em jardas conquistadas e pontos feitos. O erro na escolha atrapalhou muito o Giants, Judge chegou para ajudar Daniel Jones, quarterback da franquia que foi draftado em 2019 para substituir o grande ídolo Eli Manning.


Joe Judge e Jason Garrett, coordenador ofensivo contratado em 2020, foram muito mal, e dificultaram muito a vida do quarterback que chegava para ser o futuro da franquia. Em 2022, para tentar consertar esse erro, os donos do Giants resolveram começar tudo mais uma vez. Uma verdadeira revolução foi feita na comissão técnica do time, o General Manager foi demitido e diveros treinadores, entre eles os principais, head coach, coordenador ofensivo e coordenador defensivo.


Para as funções de head coach e coordenador ofensivo foram contratados Brian Daboll e Mike Kafka, o primeiro era o coordenador ofensivo do Buffalo Bills e o segundo o técnico de quarterbacks do Kansas City Chiefs. Portanto são dois nomes que trabalharam em ataques extremamente qualificados nos últimos anos.


Com essa nova comissão, Daniel Jones terá a sua última chance de mostrar serviço, e é última chance mesmo. O quarterback foi tão mal em suas primeiras 3 temporadas que o time não se sentiu confiável em exercer o seu quinto ano de contrato de calouro, que o pagaria mais de 22 milhões de dólares. Com isso, Jones entra em seu último ano de contrato, e se não performar, terá que achar uma nova franquia para jogar em 2023.


CBS Sports

E o jogador sabe que esse ano é muito importante para o futuro de sua carreira, tanto que as notícias dessa pré-temporada é que Jones está dando muito duro nos treinos. Em entrevista ao jornalista Jordan Raanan, da ESPN, o quarterback reserva do Giants, Davis Webb, contou que ele, Daniel Jones e Tyrod Taylor (o outro quarterback do elenco de Nova York), fizeram algumas reuniões online com Patrick Mahomes, quarterback do Chiefs, para aprender melhor o ataque de Kafka.


Mas como será esse ataque do New York Giants? Será algo mais próximo de como era o ataque de Daboll no Bills? Ou algo mais próximo de como era o ataque de Kafka no Chiefs?


Na minha opinião, nem um, nem o outro. Daboll e Kafka, que já jogou como quarterback na NFL, são bons e veteranos técnicos, eles sabem que o elenco do Giants não tem a qualidade e as características para jogar parecido com o que fazem dois dos melhores ataques da liga nos últimos anos.


Eles vão fazer um ataque mais simples, para facilitar a vida de Daniel Jones. Esse ataque será predicado no Run-Pass Option. O Run-Pass Option é muito utilizado no college football, e já tem vários times o utilizando na NFL. Brian Daboll foi o coordenador ofensivo de Alabama em 2017, e utilizou muito esse tipo de ataque com os quarterbacks Jalen Hurts e Tua Tagovailoa, onde eles brilharam e o time foi campeão nacional.


No Run-Pass Option, o quarterback quase sempre se posiciona na formação shotgun, que é quando ele fica alguns passos atrás do center, com o running back do seu lado. Ao receber o snap, ele deve fazer a leitura de apenas um defensor, e em uma fração de segundos, decidir se vai deixar a bola com o running back para correr, ficar com a bola e correr ele mesmo, ou se o wide receiver se desmarcar, lançar a bola para ele.


shotgun.football

Esse tipo de ataque é muito adequado para o que tem o Giants hoje, Daniel Jones é um quarterback muito atlético, e consegue ganhar jardas com a sua perna, além disso, ao dar menos leituras para ele fazer, Daboll diminui as duas maiores fraquezas de Jones, que são o escaneamento da defesa se a primeira rota está marcada, e segurar a bola quando pressionado no pocket.


Os jogadores de habilidade de Nova York também funcionam bem nesse sistema, Saquon Barkley, quando saudável, é um excelente running back recebendo e correndo com a bola, e os wide receivers do time são rápidos e ágeis o bastante para ganhar de seus marcadores rápidos, jogadores como Sterling Shepard, Darius Slayton e Kadarius Toney vão se dar muito bem em um esquema como o RPO.


Al Bello/Getty Images

Com um ataque mais simples, porém eficiente, o novo General Manager, Joe Schoen, junto com Daboll, poderão avaliar melhor o elenco nessa reestruturação da franquia. Se Jones for bem, pode ser até que o time faça uma proposta para renovar seu contrato, se esse não for o caso, pelo menos eles já tem uma estrutura estabelecida, para que assim que o novo quarterback chegue, possa jogar bem e trazer o Giants de volta a boas temporadas.


E para o torcedor do Giants, você ainda acredita em Daniel Jones? Qual a sua expectativa para a temporada e para o ataque com a nova comissão técnica? Conte para a gente o que você acha nas seções de comentários.

BANNERLATERAL_TRAKTOR.png
BANNERLATERAL_FANATICA.png