• Pedro Zaniol

Como Burrow já é considerado um dos jogadores mais influentes da NFL

O que Joe Burrow e o Cincinnati Bengals fizeram na temporada 2021 da NFL foi incrível. Ao chegar no Super Bowl LVI, a franquia igualou o recorde de maior azarão da história da liga a chegar na grande final, antes de começar a temporada, para cada 1 real apostado no Bengals para ser campeão, o apostador receberia 150 reais. O outro time que foi para o Super Bowl com uma cotação igual foi o St. Louis Rams de 1999.


Muito desse resultado se deve a Joe Burrow, ele teve uma grande temporada com 70.4% dos passes completados para 4.611 jardas, 34 touchdowns e 14 interceptações em 16 jogos, que o garantiram o prêmio de Comeback Player of the Year, tudo isso em sua segunda temporada jogando na liga, jogando atrás de uma das piores linhas ofensivas de toda a NFL (foi o quarterback mais sackado).


bengals.com

Mas o que mais impressiona não são seus feitos dentro de campo, e sim a mudança que a sua presença trouxe para a franquia do Cincinnati Bengals. Em apenas 2 anos de carreira, ele conseguiu ajudar a mudar a cultura e como o time é visto por torcedores e jogadores.


Para entender bem o impacto de Burrow, é preciso conhecer a história do Cincinnati Bengals. Eles foram fundados em 1968 por um dos maiores treinadores da história da NFL, Paul Brown (que dá nome ao atual estádio do time). Brown iniciou sua história na liga com o Cleveland Browns, ele foi um dos fundadores do time, o nome da franquia é uma homenagem ao treinador, ele também era sócio minoritário e treinador da equipe.


cincyjungle.com

Brown teve muito sucesso em Cleveland, ganhou 7 títulos e chegou em 11 finais. Desses 7 títulos, 4 foram na AAFC, liga que o Browns jogou por 4 anos e foi incorporada pela rival NFL, e os outros 3 títulos foram na NFL.


Paul era conhecido por ser uma pessoa muito perfeccionista e inovadora, seus times eram geridos à risca, com muita disciplina, o que era difícil de lidar muitas vezes, pois o treinador era teimoso e gostava de controlar todos os aspectos da franquia. Em 1961, Art Modell comprou a maioria das ações do Browns e virou o sócio majoritário e principal dono do time, não demorou para que ele tivesse problemas com Paul e o demitisse.


Paul Brown, junto com outros investidores (dessa vez ele era o sócio majoritário), criou o Cincinnati Bengals para jogar na AFL, liga rival que depois se uniu a NFL. Foi aí que Brown realizou o seu grande sonho, no Bengals, ele tinha o poder total, era o dono, general manager e treinador da equipe, basicamente decidia tudo da franquia. Ficou como treinador de 1968 até 1975, quando se aposentou, depois disso, manteve-se nas posições de dono e general manager até sua morte em 1991.


Clifton Boutelle/Getty Images

Em 1991, Mike Brown, filho de Paul, virou o general manager e dono do time, Mike está no Bengals por toda a história da franquia, ele ajudava seu pai desde a criação do time, em 68, e continua sendo o dono do time até hoje. Essa é a grande particularidade da equipe de Cincinnati, diferente deu outras franquias da NFL, que são geridas como empresas multinacionais gigantes com diversas pessoas trabalhando em vários departamentos, o Bengals, por muitos anos, foi gerido como uma pequena empresa familiar, onde os investimentos eram bem menores e pouquíssimas pessoas cuidavam da empresa.


Existem outras franquias que são geridas por famílias, isso é algo comum na liga, o dono ter seus filhos e parentes trabalhando no time, para que um dia o sucedam, o que é diferente no Bengals era a quantidade de pessoas cuidando do time, e a quantidade de dinheiro investido na franquia e em suas instalações.


Apesar de ter demorado muito, o Bengals foi correndo atrás do prejuízo e cada vez mais está próximo do nível das outras franquias da NFL, Mike Brown já não manda mais em tudo, Duke Tobin, que apesar de não ter o título, é o general manager do time. Ele, junto com Mike Brown, seus filhos Paul Brown Jr, Katie Blackburn e o marido de Katie, Troy Blackburn, são as pessoas que cuidam de tudo no Bengals.


AP Photo/Frank Victores

Quando Marvin Lewis, ex-treinador do Bengals, chegou em 2003, o time tinha um dos piores centros de treinamento e apenas 1 scout, empregado que avalia jogadores do college para o draft e jogadores de outros times da NFL para contratar na free agency. Lewis foi o principal responsável pelo início das mudanças. Hoje, Cincinnati tem um bom centro de treinamento e tem uma equipe maior de scouts (ainda a menor da NFL e bem pequena se comparada a outros times).


E é aí que a importância de Joe Burrow pode ser vista, desde que chegou, em 2020, o quarterback trouxe um profissionalismo e uma cultura diferente para a franquia, ele conversa regularmente com a família Brown sobre investimentos no time, e foi graças a ele que os donos da franquia começaram a investir mais. O maior investimento, junto com a liderança de Burrow, trouxeram resultados imediatos para o Bengals, o que incentivou Brown a investir ainda mais, um exemplo é que, após chegar no Super Bowl na temporada passada, o time enfim fez um campo coberto ao lado do Paul Brown Stadium, pouquíssimas equipes da NFL não tem um campo de treinamento fechado, as que não tem, é porque jogam em Estados mais ao Sul, onde não faz tanto frio, Cincinnati era o único time do Norte, que tem baixas temperaturas, que não tinha um campo fechado.


Mas a principal mudança causada por Burrow foi no que o Bengals tem feito na free agency. Por ser de um mercado pequeno, em uma cidade pequena e pouco badalada, Cincinnati não era o destino preferido dos jogadores. Isso acontece com outras franquias da NFL, que compensam com investimentos em suas instalações, para terem times fortes, e pagam salários altos, atraindo esses jogadores através do dinheiro. Antes da chegada de Joe, Mike Brown não fazia nenhuma dessas coisas, o time se contentava em trazer nomes menos pomposos na free agency, jogadores mais baratos.


atozsports.com

A falta de investimento no time e na instituição se mostraram dentro de campo, Cincinnati era uma das franquias mais mal geridas da NFL desde 1991, quando Mike assumiu. Em 30 temporadas, de 1991 a 2020, o time foi apenas 7 vezes para os playoffs e não venceu nenhum jogo. Ficou de 91 até 2004 sem ter nenhuma temporada com mais vitórias do que derrotas, foram anos bem complicados.


A mudança começou em 2020, após pedidos do treinador Zac Taylor, contratado em 2019, o time já gastou mais na contratação de jogadores, mas um dos motivos para que isso fosse aprovado foi a confiança que a franquia tinha que Burrow seria um grande jogador (na free agency de 2020, ele ainda não havia sido draftado, mas por eles terem a 1ª escolha geral, já sabiam que iam selecionar Joe).


E o quarterback tem papel fundamental nessas contratações, ele fala pessoalmente com diversos jogadores livres no mercado que interessam Cincinnati, para tentar recrutá-los. Ele disse em entrevista que é algo que ele gosta muito de fazer, e que ele passa para esses jogadores como é jogar no Bengals, que apesar das mudanças nos últimos anos, ainda tem uma cultura bem intimista em que todos são muito próximos, como uma família.


Associated Press

Graças a Burrow o time começou a trazer nomes mais badalados do mercado, como o defensive end Trey Hendrickson em 2021 e os jogadores de linha ofensiva Alex Cappa e La’el Collins. Isso já chamou a atenção de quem cobre a liga, em sua coluna, “Football Morning in America”, do dia 6 de junho, Peter King, um dos maiores jornalistas que cobre a NFL, fez uma lista das 22 pessoas mais influentes da NFL em 2022, a lista tem jogadores, donos, técnicos, executivos, pessoas da mídia, e na 12ª colocação, Joe Burrow.


O que um quarterback faz em campo é o mais importante, mas grandes quarterbacks na história da NFL sempre foram mais do que apenas jogadores, eles são os generais do ataque, líderes do elenco, Joe Burrow demonstrar características como essa tão jovem ainda mostram que ele pode se tornar um dos grandes nomes do esporte por muitos anos.


Torcedor do Bengals, qual a sua expectativa para a temporada 2022? Acredita que o time tem potencial para chegar mais uma vez no Super Bowl? Acredita em um possível título? Conte para a gente nos comentários quais são suas expectativas para a franquia e seu quarterback, Joe Burrow, em 2022.

BANNERLATERAL_TRAKTOR.png
BANNERLATERAL_FANATICA.png