• Lucas Rocha

Com field goal no estouro do cronômetro, Bengals vencem o Titans e estão na final da AFC

Depois de mais de 30 anos, o Cincinnati Bengals chega à final da AFC. A equipe venceu o Tennessee Titans no último sábado por 19-16 com direito a field goal no estouro do cronômetro, mesmo com os diversos problemas apresentados pela OL da equipe.



Defesas dominam em absoluto


Se esperávamos um jogo disputado e com muitos pontos, erramos muito. O domínio do jogo foi das duas defesas, em especial o front seven das duas. Conforme dito na prévia, as duas equipes estavam entre as que mais fizeram sack no adversário e as que mais sofreram sacks. E a dominância das defesas ficou clara desde o primeiro snap da partida. Literalmente no primeiro snap da partida, Ryan Tannehill tentou passe em direção a Julio Jones, mas foi interceptado por Jessie Bates III.



O Bengals não conseguiu capitalizar após o turnover e teve que se contentar com um field goal, abrindo o placar em Nashville. Joe Burrow provou, nesta campanha, o que seria o grande ponto do jogo: os sacks. Enquanto Tannehill sofreu apenas um sack na partida, Burrow terminou a partida com incríveis 9 sacks sofridos. O Titans foi a única equipe nesta temporada com 3 jogadores com 8+ sacks na temporada (Landry III, Autry e Simmons), e Burrow chegou ao 12º jogo nesta temporada com 3 ou mais sacks sofridos, de longe a maior marca da franquia (nenhum outro QB do Bengals teve mais que 9 jogos assim desde 1970).


Após o field goal, foram 3 drives seguidos resultando em punt (2 do Titans e 1 do Bengals). As defesas simplesmente dominaram o primeiro quarto do jogo, sem dar espaço para nenhum dos ataques. O único jogador que conseguiu se destacar um pouco mais foi, mais uma vez, o calouro Ja’Marr Chase.



Segundo quarto tem um pouco mais de emoção


O segundo quarto começou como acabou o primeiro: com punt. Joe Mixon apareceu um pouco mais, tanto correndo quanto recebendo, mas a equipe não conseguiu chegar em alcance de FG e se contentou com o punt. Com isso, bola do Titans, e dessa vez deu certo. A campanha começou com uma bomba para AJ Brown, que ganhou 41 jardas e foi derrubado por Jessie Bates III. Foi então que Derrick Henry apareceu. Claro, não foi igual antes da lesão, em que ele em campo era praticamente certeza de first down. Henry visivelmente não estava 100% e jogou no sacrifício, mas fez o que pode na partida e apareceu quando precisava. Recebendo o snap direto, Henry correu 3 jardas e marcou seu primeiro TD desde novembro, visto que sua lesão foi dia 31/10. Henry teve um jogo tímido, mas chegou ao 4º TD corrido nos playoffs na história do Titans (contando ainda quando a equipe era Oilers), empatando com o Hall da Fama Earl Campbell. Além disso, Henry passou das 700 jardas corridas na carreira em pós temporada, se juntando a Eddie George como únicos na história da franquia.



Com a bola nas mãos para fechar o período, o Bengals promoveu mais uma boa campanha. Joe Burrow variou mais os passes, utilizando Tee Higgins um pouco mais e chegaram até a linha de 24 do campo de ataque, mas Burrow sofreu um dos vários sacks e a equipe se contentou com o field goal. Burrow se tornou o primeiro QB a sofrer 5 sacks na primeira metade de uma partida desde Rob Johnson, QB do Bills, em 1999. Curiosamente, as duas partidas foram contra Tennessee.


Terceiro quarto tem 2 TDs e 2 interceptações


O Bengals resolveu quebrar o ritmo do jogo e, no primeiro drive do terceiro quarto, resolveram pontuar com TD corrido de Joe Mixon. Mixon teve um belo jogo, se tornando o primeiro Bengal com 50+ jardas corridas e recebidas na mesma partida.



Bola de volta com o Titans, que tiveram um bom drive, com direito a uma linda corrida de D’onta Foreman no melhor estilo Derrick Henry. Foreman conquistou 45 jardas e deixou a equipe na linha de 9. Mas aí Tannehill resolveu espalhar a farofa e, mesmo com o defensor cortando perfeitamente a linha de passe, resolveu tentar passe em direção a Chester Rohers, mas foi interceptado por Mike Hilton, que ainda retornou 19 jardas até ser derrubado por Tannehill. A jogada só não foi pior devido a falta de taunting (algo como provocação) de Eli Apple, que fez o Bengals ganhar 15 jardas de penalidade.



Não adiantou muito, porém. O Bengals não conseguiu ganhar mais que 5 jardas e teve que chutar o punt. O Titans, então, teve uma boa campanha com mais uma big play para AJ Brown. Brown continua a fazer história na equipe e se tornou o WR com mais jardas recebidas em uma partida de playoffs na história do Titans, com 142 (ultrapassou Ernest Givins, que tinha 136 no Wild Card de 1989). A equipe não conseguiu chegar até a terra prometida, e ficou com um field goal de 34 jardas para deixar a partida. No drive seguinte, literalmente no primeiro passe, Burrow tentou passe em direção a Samaje Perine, mas a bola bateu nas suas mãos e subiu, e Amani Hooker interceptou.



A interceptação, porém, causou muitas discussões, visto que a bola toca no chão (como fica claro no vídeo). A interpretação dos juízes, porém, foi que Hooker já tinha a posse da bola, e o toque no chão não interferiu no controle da posse. É uma decisão difícil, confesso. Com campo curto, os Titans tiveram a chance de colocar fogo no jogo, e fizeram. Passe simplesmente perfeito de Tannehill para AJ Brown, que precisou só olhar para a bola e deixar ela encaixar perfeitamente no seu braço. Passe perfeito de um QB que estava devendo até aquele momento, e o jogo pegou fogo (como dizia Everaldo Marques, “enquanto tem bambu tem flecha”). Após o TD, o Bengals teve a bola, mas teve que se contentar com o punt.



Calouro do Bengals é o herói da partida


O terceiro quarto acabou, e o placar era de 16-16. O jogo se tornava cada vez mais tenso para as duas equipes. O Titans começou o último quarto com a bola e, mesmo com mais uma big play para AJ Brown, não conseguiu converter. Na 4th & 1 na linha de 35, o Titans arriscou uma corrida com Derrick Henry, mas o Avatar foi parado pelo front seven do Bengals. O Bengals, porém, também não conseguiu chegar nem no meio de campo, graças aos sacks permitidos pela OL. A equipe teve que ficar só com o punt (mais uma vez), e devolveu a bola para o Titans.



Nesse momento, porém, Tannehill fez aquilo que não podia. Com menos de 3 minutos para o final do jogo, a equipe tinha que avançar pelo campo e gastar relógio, e um simples field goal já garantia a vitória da equipe da casa. A campanha começou bem, com Julio Jones aparecendo e chegando ao segundo jogo com 60+ jardas recebidas na temporada, até que o QB tentou passe em direção a Westbrook-Ikhine. O WR estava muito bem marcado por Eli Apple, que conseguiu dar um toque na bola. A bola subiu e Logan Wilson segurou, completando a 3ª interceptação de Tannehill no jogo.



Com a bola na mão e faltando 20 segundos, o Bengals só teve o trabalho de avançar um pouco no campo e dar uma melhor posição para seu kicker. E então…



Mesmo com 9 sacks sofridos, Burrow terminou a partida com 28/37 para 348 jardas e 1 interceptação. O Bengals venceram o jogo e estão na final da AFC pela primeira vez desde 1989, e só esperam a confirmação de que será seu próximo adversário.

BANNERLATERAL_TRAKTOR.png
BANNERLATERAL_FANATICA.png