• Pedro Zaniol

Com a chegada de J.C. Jackson, como vai ficar a secundária do Chargers?

No final da temporada 2020, a sensação de todos os amantes da NFL era de que o Los Angeles Chargers tinha ganhado na loteria. A posição de quarterback é disparada a mais importante do esporte, e ter um grande jogador na posição resolve muitos problemas da franquia. Justin Herbert, o terceiro quarterback selecionado no draft com a 6ª escolha geral, com apenas 1 ano de carreira, já se mostrava um talento bem fora da curva, um jogador realmente especial.



Mesmo com Herbert tendo uma temporada histórica de calouro, onde venceu o prêmio de melhor calouro do ano, bateu o recorde de touchdowns lançados e ficou em 2º em jardas lançadas por um novato, o ataque de Los Angeles decepcionou. O Head Coach Anthony Lynn chamava muitas jogadas de corrida, mesmo sabendo que, quando lançava a bola, o ataque do chargers era o 15º melhor da liga em jardas por jogada, quando corria, era o 30º em jardas por jogada.


David Backer/Associated Press

A diretoria do time de Los Angeles foi rápido em corrigir esse erro, demitiu Lynn, trouxe Brandon Staley, um jovem treinador, especialista no lado defensivo do jogo, mas que usa muito estatísticas e dados de desempenho, e junto de Staley, trouxe Joe Lombardi, treinador que trabalhou muitos anos em New Orleans com Drew Brees e Sean Payton, para ser o coordenador ofensivo.


A mudança foi muito positiva, Herbert teve mais um ano espetacular onde passou para mais de 5000 jardas e lançou 38 touchdowns, e o ataque foi o 5º melhor em pontos por jogo e o 4º melhor em jardas por jogo. Ainda assim, o Chargers decepcionou mais uma vez sua torcida e seu quarterback e ficou de fora dos playoffs, só que dessa vez o problema foi na defesa.


A defesa foi muito mal no primeiro ano de Staley, principalmente contra a corrida, no geral, foi a 29ª em pontos cedidos e a 23ª em jardas cedidas.


Isso tem uma explicação, Staley é da árvore de treinadores de Vic Fangio, e assim como o seu mentor, o Head Coach utiliza uma defesa que sempre joga com 2 safeties no fundo do campo, enquanto isso faz com que seu time esteja melhor preparado para defender o passe, principalmente as jogadas em profundidade. Porém, esse esquema acaba tirando um linebacker de perto da linha de scrimmage, deixando assim a equipe mais suscetível a corridas.


Para que o time não sofra contra as corridas, é preciso que a linha defensiva seja muito boa, era esse o caso da defesa do Bears de 2018 (treinado por Fangio) e da defesa do Rams de 2020 (treinada por Staley). Foi por isso que os maiores investimentos vieram nessas posições em 2022, chegaram o edge rusher Khalil Mack, o linebacker Kyle Van Noy e os defensive tackles Austin Johnson e Sebastian Joseph-Day.


twitter.com/aroundthenfl

Mas o Los Angeles Chargers também trouxe jogadores para ajudar a sua secundária, e foram bons nomes. O principal deles J. C. Jackson, cornerback que foi muito bem no New England Patriots nas últimas temporadas e assinou por 5 anos e 82 milhões de dólares com o Chargers. Além de Jackson, vieram também o Slot Corner Bryce Callahan, o safety J. T. Woods e os cornerbacks Ja’Sir Taylor e Daene Leonard, os três últimos selecionados no draft.


A contratação de J. C. é chave para essa defesa do Chargers, o time sofreu por não conseguir muitas interceptações em 2021, ficou empatado com outros 3 times como o 8º pior nesse quesito, com 11 interceptações. Jackson chega exatamente para mudar isso, seu nome nas redes sociais é @mr.int, ou seja, o “Senhor Interceptação”, e ele faz jus ao apelido, em 2021, foram 8 interceptações, desde que chegou na nfl em 2018, ele lidera a liga em interceptações com 25. Outra qualidade de J. C. é a sua versatilidade, pode jogar aberto ou como slot, pode ficar cuidando apenas de uma lateral do campo ou pode seguir o principal recebedor do time por todo o campo, vai bem na zona e muito bem na marcação homem a homem.


Com as adições, a secundária do Los Angeles Chargers deve ser a seguinte em 2022


Cornerbacks Abertos Titulares: J. C. Jackson e Michael Davis

Slot Cornerback Titular: Asante Samuel Jr.

Safeties Titulares: Nasir Adderlay e Derwin James

Cornerbacks Abertos Reservas: Tevaughn Campbell e Ja’Sir Taylor

Slot Cornerback Reserva: Bryce Callahan

Safeties Reservas: J. T. Woods e Alohi Gilman


AP Photo/Marcio José Sanchez

A defesa do Chargers melhorou muito como um todo se comparada a 2021, mas a secundária, além de melhorar, ganhou profundidade. Com Jackson e Derwin James, a unidade agora tem duas estrelas, e duas estrelas versáteis, James é um dos melhores safeties da NFL, e pode ser alinhado em qualquer lugar da defesa, Jackson pode jogar tanto no Slot como aberto, assim como Asante Samuel Jr. Asante jogou mais aberto em 2021, pois o time não tinha outro jogador para ficar do lado oposto ao de Davis, e como o outro cornerback, Chris Harris Jr. é um especialista na posição slot, Samuel não teve chance de mostrar sua versatilidade.


A quantidade de jogadores, algo tão importante em um esporte com tantas lesões como o futebol americano, melhorou também, em 2021, o time tinha apenas 3 safeties e 3 cornerbacks bons, com as contratações, o número de corners de qualidade subiu para 5, e se o novato Woods conseguir mostrar o mesmo futebol de qualidade que mostrou em Baylor, a equipe fica com 4 bons saferies.


Para o torcedor, a defesa do Los Angeles Chargers vai conseguir dar um salto de produção em 2022? Se sim, você acredita que isso é o suficiente para a franquia brigar pelo título? Conte para a gente o que você acha nos comentários.

BANNERLATERAL_TRAKTOR.png
BANNERLATERAL_FANATICA.png