• Anna Carolina

Cole Beasley diz que comprará ingressos para não-vacinados

Apesar do Buffalo Bills ter anunciado recentemente que somente os torcedores totalmente vacinados poderão frequentar seu estádio (tem uma matéria minha no site falando mais sobre aqui), algumas pessoas estão contrárias a decisão. Dentre elas, o WR do time e maior porta-voz anti-vacina da NFL, Cole Beasley. O jogador afirmou que está disposto a comprar ingressos para torcedores dos Bills que não quiserem se vacinar.


Segundo matéria do jornalista Jason Wolf, do Buffalo News, Beasley e o snapper Reid Ferguson se disponibilizaram a pagar pelos ingressos de quem quisesse ir aos jogos tanto no Highmark Stadium, quanto fora de casa, mas que seriam naturalmente barrados por se recusarem a se vacinar. Beasley, inclusive, ofereceu ingressos a um torcedor que não se vacinou e que queria levar a filha a ver um jogo em dezembro.


Chris Hauquitz, o torcedor acima, confirmou ao Buffalo News que Beasley estava arranjando para ele ingressos para o Monday Night Football entre Bills e Chiefs, no dia 10 de outubro. Ele também explicou ao jornal que sua recusa à vacina foi baseada em “uma combinação de fatores”, incluindo a falta de informação sobre as vacinas contra a Covid-19 e, em especial, a vacina da Pfizer, uma das três aprovadas pela FDA (Food and Drug Adminstration, órgão equivalente à ANVISA no Brasil).


“Eu já tive Covid, então, na minha opinião, já tenho os anticorpos”, disse Hauquitz. “Eu acredito que eles são tão bons quanto a vacina. Ela saiu muito às pressas. Na minha opinião, existem poucas informações e tudo parece ser unilateral. Tem também minhas crenças religiosas. Acho que Deus me criou com um propósito. Ele tem um plano para a minha vida. Seja eu me vacinando ou não, eu estou bem e Ele cuidará de mim”.


Hauquitz disse também que, quando ele pegou Covid, foi decisão própria de “adotar uma imunidade de rebanho” e transmitir o vírus para toda a sua família, que incluem sua esposa e seus filhos, com idades que variam de 1 ano e 11 meses a 12 anos.


Reprodução: Associated Press.


Somente nos EUA, mais de 41 milhões de pessoas foram infectadas pelo vírus, enquanto mais de 665 mil morreram por conta da doença, de acordo com informações do Centers for Disease Control and Prevention (CDC), a agência do Departamento de Saúde norte-americano. As três vacinas aprovadas pela FDA – Pfizer, Moderna e Janssen – possuem juntas eficácia de 86% na prevenção de internações. O estudo do CDC envolveu cerca de 32 mil pacientes que frequentaram hospitais, clínicas e emergências em nove estados do país, no período entre junho e começo de agosto.


Isso tudo, porém, não pareceu ter efeito sobre esse grupo de torcedores e os dois jogadores dos Bills. Em resposta a outro torcedor, Reid Ferguson também se ofereceu a comprar ingressos.


Tanto o tweet quanto a resposta de Ferguson receberam inúmeras críticas dos torcedores de Buffalo, afirmando que eles não queriam estar em contato com pessoas não-vacinadas e que os jogadores estavam não apenas parabenizando os torcedores por não se vacinarem, como também estavam os encorajando para viajar pelo país. Larrington, um torcedor de 29 anos que recebeu a resposta de Reid Ferguson, falou ao jornal que alguns torcedores acharam seu número de telefone e lhe mandaram mensagens o xingando.


“Eu nem notei que Ferguson me respondeu, por conta das mensagens no meu celular”, Larrington disse. “Sabe, são pessoas sendo pessoas. Se você quiser me xingar e ofender, vá em frente. Eu não irei dizer nada de ruim a você. Não vou julgar você pela sua crença, seja ela a mesma ou diferente da minha. O máximo que eu vou fazer é responder ‘Go Bills!’ para todo mundo”.


Criador: Brett Carlsen. Créditos: Getty Images.


Larrington contou também que sua noiva grávida e o resto da sua família estão vacinados, mas que ele não sente vontade de se proteger porque é jovem e tem boa saúde. No entanto, um outro estudo publicado em julho – desta vez do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA (o NIAID) – revelou que pessoas não-vacinadas representam 97% das internações e das mortes no país. Na última semana, um levantamento do governo mostrou que Flórida, Texas e Missouri representam sozinhos 40% dos casos nacionais. Para uma comparação, um a cada 5 casos de Covid-19 nos Estados Unidos está na Flórida – e é de uma pessoa não-vacinada.


Já no condado de Erie, onde fica o estádio dos Bills, foram reportados somente na última semana 1449 novos casos de Covid. Um aumento de 10% em comparação com os dados anteriores, segundo o departamento de saúde do condado. Erie teve a média de 152 casos novos a cada 100 mil habitantes – o que classifica como “risco de alta transmissão”, de acordo com o CDC. Enquanto isso, Beasley, Ferguson e os demais jogadores anti-vacinas dos Bills continuam usando suas redes sociais para espalhar informações falsas sobre a vacinação.


Até o fechamento da matéria, a NFL, a associação de jogadores – a NFLPA –, membros da comissão técnica e da administração do Buffalo Bills não se manifestaram sobre os casos.

1 comentário
BANNERLATERAL_TRAKTOR.png
BANNERLATERAL_FANATICA.png