• Gabriel de Campos

Chargers leva a melhor contra os Browns no melhor jogo da rodada

A partida entre Los Angeles Chargers e Cleveland Browns prometia ser bem empolgante, porém não era de se esperar tanta emoção. Dois ataques muito intensos, que souberam explorar falhas defensivas em um jogo com 89 pontos somados, e que foram os grandes destaques da partida.



Ataque de Cleveland dando bastante trabalho para a defesa dos Chargers


Como citado na prévia, os Browns iriam usar e abusar do jogo corrido contra os Chargers, e de fato foi a maior arma ofensiva da equipe. Somados, Nick Chubb e Kareem Hunt foram acionados 32 vezes, exatamente o mesmo número de tentativas de passe de Baker Mayfield. Isso mostra o equilíbrio ofensivo dos Browns no jogo, tornando o play action extremamente efetivo contra Los Angeles. Outra boa estratégia dos Browns, foi a utilização de passes curtos para o ganho de jardas após a recepção. Nos passes, 66% do ganho de jardas foi após a recepção. O trabalho da linha ofensiva dos Browns é louvável e merece destaque. Foi o melhor jogo do setor em proteção do passe, apenas três pressões cedidas e nenhum sack. Com isso, Baker Mayfield conseguiu ter o tempo necessário de pocket para realizar boas leituras e não falhar nas decisões.


Não foi um dia bom para a defesa de Los Angeles. As corridas dos Browns abalou as estruturas e a boa secundária não jogou da mesma forma que já vimos em outros jogos.


Com a boa atuação da OL dos Browns, a perigosa pressão ao passe dos Chargers foi anulada, bem abaixo do que se esperava. Joey Bosa conseguiu apenas duas pressões em 19 pass-rushing snaps.

Derwin James Jr foi o melhor nome defensivo da equipe. Liderou o time em tackles (15) e parou o ataque dos Browns duas vezes em tackles para perda de jardas. Foi acionado uma vez em blitz e quase conseguiu forçar um fumble de Mayfield, a jogada contou como passe incompleto.


O calouro Asante Samuel Jr não era o mesmo que vimos nas primeiras semanas. Ele permitiu 5 recepções para 68 jardas e 1 touchdown, o único jogador da secundária que cedeu mais de 40 jardas.

A marcação homem-a-homem falhou em momentos decisivos que renderam ganhos importantíssimos de território. O touchdown de David Ndjoku (71 jardas) foi resultado de um apagão inexplicável de toda a defesa dos Chargers.


Getty images

Herbert e Ekeler contra tudo e contra todos


Justin Herbert e Austin Ekeler assumiram a responsabilidade e decidiram o jogo. Com uma boa adaptação às jogadas de Brandon Staley, Herbert quase chegou às 400 jardas (398) e conseguiu 4 touchdowns. Staley trabalhou com passes curtos e corridas, e nas duas vezes em que a defesa dos Browns tirou o foco de Mike Williams no fundo do campo, Justin Herbert conectou passes longos que encontraram o recebedor sozinho na endzone. Ekeler sofreu um fumble em um bom tackle de Grant Delpit, sofrendo o primeiro turnover da equipe em 3 jogos. Porém, o running back se redimiu com 2 touchdowns importantes no final do jogo para virar o placar e conseguir a vitória. Ekeler terminou o jogo com 119 jardas (66 correndo e 53 recebendo passes).


A linha ofensiva dos Chargers começou bem a partida, contudo, conforme o tempo foi passando seu rendimento começou a piorar. A unidade somou 13 pressões e 2 sacks em Herbert. Storm Norton foi o que mais permitiu pressões em Herbert (5). O calouro Rashawn Slater teve um duro trabalho contra Myles Garrett, em um duelo interessante onde o defensive end teve maior sucesso conseguindo 4 pressões e 1 sack. Os Browns tiveram êxito em pressões com 4 homens, não foi necessário pressionar com muitas blitzes.


A secundária de Cleveland teve bons momentos, porém não conseguiu conter o imparável ataque dos Chargers. Os safeties John Johnson III e Ronnie Harrison permitiram 97 jardas e 3 touchdowns. O melhor desempenho foi na cobertura homem-a-homem, os passes foram completos porém o ganho de jardas após a recepção foi mínimo.



Venceu aquele com o melhor quarterback


A cada jogo Justin Herbert vem se provando o melhor quarterback da classe de 2020. É impressionante sua habilidade para identificar os pontos fortes da defesa e explorar as deficiências. A chegada de Herbert no ano passado e a contratação de Brandon Staley foram umas das melhores movimentações dos Chargers em muitos anos. O treinador confia em seu quarterback, não tem medo de arriscar quartas descidas e conversões de dois pontos porque sabe o quão talentoso Justin Herbert é. Já está chegando a hora em que os Chargers deixarão de ser o time do futuro para ser o time do presente.

BANNERLATERAL_TRAKTOR.png
BANNERLATERAL_FANATICA.png