• Rodrigo Menezes

Chargers dominam os Giants e conquistam vitória importante na luta por playoffs

Uma partida tranquila. É assim que podemos resumir como foi a tarde desse último domingo dos Los Angeles Chargers. A equipe não teve grande trabalho para derrotar o New York Giants, que sem seu QB titular, não demonstrou forças para conseguir equiparar as forças durante praticamente todo o jogo. Se a equipe de LA vinha sendo criticada por não conseguir repetir duas boas atuações na sequência, principalmente o QB Justin Herbert, nesse domingo a equipe mostrou sua força e um princípio de reação diante da inconsistência observada nos dois últimos meses.



A partida até teve certo equilíbrio durante o primeiro quarto, mas ficava claro que o time que poderia entregar mais era os Chargers. A equipe sempre esteve a frente no placar, e com isso colocou muita pressão sobre os Giants, que com QB reserva, pouco conseguiram produzir. Em especial, acho relevante destacar que o jogo terrestre de LA teve uma boa partida como um todo. Sabendo revezar bem seus três RBs, a equipe conquistou ao todo 152 jardas correndo com a bola, com uma média boa de 4,1 jardas por tentativa. Austin Ekeler, o titular, foi quem mais correu e quem obteve a melhor média, além de anotar mais um touchdown terrestre, o nono nessa temporada.


Justin Herbert lançou para 3 touchdowns nessa partida, e se tornou o primeiro QB da história a ter 30 touchdowns nas duas primeiras temporadas da carreira. (Robert Gauthier – Los Angeles Times)

Vale ressaltar outro ponto importante nessa atuação. Apesar de Mike Williams ter sido liberado da lista de Covid e ter jogado, Keenan Allen foi uma ausência, e ele vinha sendo uma das válvulas de escape de Justin Herbert. Mas mesmo sem ter aquele que parece ser seu WR favorito, o QB soube conduzir bem a equipe e lidar com essa ausência de forma muito boa. Herbert vem demonstrando alguma irregularidade nessa temporada, mas é inegável como o QB vem amadurecendo e demonstrando cada vez mais segurança em vários momentos.


O mais importante de tudo para os Chargers, contudo, foi a atuação de sua defesa. É obvio que sem Daniel Jones, o ataque aéreo dos Giants fica muito menos perigoso, mas ainda assim foi muito bom ver que a defesa de LA soube lidar com Saquon Barkley, um dos melhores RBs da NFL, de forma satisfatória. Com apenas 64 jardas em 16 tentativas, Barkley ficou longe de ser um fator nesse jogo e não conseguiu liderar o ataque dos Giants nessa partida. Ainda há muito para melhorar na defesa, mas ainda há tempo para isso acontecer e os Chargers chegarem em condições de brigar por uma vaga no Super Bowl.


Mike Glennon teve partida ruim, com menos de 50% de aproveitamento, e falhou em levar esse ataque a números melhores. 14 dos 21 pontos da equipe foram anotados já no garbage time, passando a impressão de um jogo mais equilibrado do que realmente foi. (Ronald Martinez – Getty Images)

No lado dos Giants, a equipe tem nomes muito bons e é um time que pode jogar mais do que vem jogando. O problema segue sendo as lesões. Saquon Barkley, Sterling Shepard, Kenny Golladay, todos já perderam algum tempo nessa temporada com problemas físicos, isso só para ficarmos restrito ao ataque da equipe. E agora sem Daniel Jones, que ainda nem sabe se retornará nessa temporada, o cenário da equipe parece ser cada vez mais nebuloso.


O placar nessa partida evidencia isso. Os Giants até tentaram em algum momento equilibrar o jogo, mas não teve força para isso. No ataque, Mike Glennon não é, e na verdade nunca foi, a solução para qualquer problema. O QB completou menos da metade dos seus passes, e apesar de 2 touchdowns (1 deles já dentro do garbage time), ele pouco machucou a defesa adversária. Seu passe final dentro da partida terminou em uma interceptação, o que terminou de coroar uma partida bastante fraca.


Na defesa, os Giants até conseguiram começar bem a partida, mas rapidamente os Chargers controlaram as ações. O combate ao jogo aéreo foi bastante ruim, boa parte disso em decorrência da ausência de Adoree Jackson, lesionado. Com isso, Herbert terminou a partida com um rating de 133.13, um número bastante expressivo. Sem conseguir controlar Herbert, NY ainda viu o jogo terrestre adversário conseguir boas marcas, o que ajudou a garantir o domínio do relógio para LA (teve 34:20 de posse). Sem parar o QB adversário e sem ter o controle do cronômetro, é praticamente impossível vencer um jogo.


Austin Ekeler novamente se destacou, e é um dos nomes em quem a torcida acredita que poderá ajudar a vencer os Chiefs na próxima rodada, valendo a liderança da AFC Oeste. (Gary A. Vasquez – USA TODAY Sports)

A vitória dos Chargers coloca a equipe em uma boa posição pensando em playoffs, seja pelo Wild Card, seja ganhando a divisão. Na próxima rodada, encontrará novamente os Chiefs, e uma vitória recolocará a equipe na liderança da divisão e garantirá a vantagem no confronto direto. No lado dos Giants, as chances de playoffs eram baixas, e após essa derrota, ficou praticamente impossível pensar em pós-temporada. Ainda assim, é um time que tem bons nomes, e o planejamento para 2022 precisa começar logo. NY precisa de alguns reforços de qualidade, mas acima de tudo, essa equipe precisa permanecer saudável.


Destaques


Chargers: Justin Herbert (23/31, 275 jardas, 3 touchdowns); Austin Ekeler (12 corridas, 67 jardas, 1 touchdown); Jalen Guyton (3 recepções, 87 jardas, 1 touchdown); Joey Bosa (1 sack, 1 fumble forçado)


Giants: Mike Glennon (17/36, 191 jardas, 2 touchdowns, 1 interceptação); Kyle Rudolph (2 recepções, 66 jardas); Dexter Lawrence (1 sack, 4 tackles); Azeez Ojulari (1 sack, 2 tackles)


Próximos jogos


Chiefs x Chargers, quinta (16/12), às 22:20, em Los Angeles

Cowboys x Giants, domingo (19/12), às 15:00, em New York

BANNERLATERAL_TRAKTOR.png
BANNERLATERAL_FANATICA.png