• Mateus Bertuol

Bons nomes que não devem sair no primeiro dia de Draft

Além de grandes prospectos como Evan Neal, Aidan Hutchinson e Kayvon Thibodeaux, o Draft de 2022 nos reserva jogadores interessantes que podem sobrar até o terceiro dia do evento e possuem talento para garantir uma vaga em vários elencos da NFL. Aqui veremos oito prospectos que devem passar da primeira rodada, mas podem causar impacto em suas futuras equipes.



Matt Araiza, Punter, San Diego State


De longe o melhor jogador de times especiais deste Draft, Matt Araiza já mostrou que pode ser titular na NFL. Na temporada passada, Araiza foi o melhor punter da NCAA em jardas totais (4044) e em média de jardas por punt (51,2). No Combine ele também mostrou boas habilidades, chutando um punt de quase 80 jardas e correndo as 40 jardas em 4,68 segundos.


Não é todo dia que vemos jogadores de special teams se destacando nesse nível, por isso muitas vezes nem são draftados. Porém, Araiza certamente pode – e deve – ser escolhido durante o Draft.


Darren Yamashita-USA TODAY Sports

David Bell, Wide Receiver, Purdue


David Bell teve boas temporadas em 2021 e 2019, passando das 1000 jardas recebidas em ambas oportunidades. Em 2020, mesmo atuando em apenas 6 jogos, ele conseguiu anotar 8 TDs. Em três anos no College, Bell acumula 2946 jardas recebidas e 21 TDs, além de 51 jardas corridas e 1 TD pelas trincheiras. Mesmo não estando na primeira prateleira de recebedores, David Bell pode ser uma boa opção de WR3 para as franquias apostarem via Draft.


D’Eriq King, Quarterback, Miami


A classe de quarterbacks deste ano não é das mais inspiradoras. Em comparação com 2021, qualquer um dos cinco QBs escolhidos na primeira rodada seria o melhor prospecto desta classe. Porém, o nome em questão é D’Eriq King, de Miami (Flórida). Sem possuir valor para sair alto no Draft, King pode ser um bom reserva para ser escolhido nas rodadas finais ou até mesmo sobrar entre os undrafted free agents (jogadores que não são draftados).


D’Eriq King está no College desde 2016, onde passou por Houston e Miami. O quarterback dos Hurricanes acumulou um total de 8378 jardas aéreas, 76 TDs e 19 INTs em sua carreira. Além disso, ele possui bom atleticismo, conseguindo 2055 jardas e 32 TDs corridos na NCAA. Em sua primeira temporada em Houston, ele também atuou como retornador nos times especiais.


AP Photo/John Raoux

Abram Smith, Running Back, Baylor


Depois de três primeiros anos frustrados, 2021 foi a volta por cima de Abram Smith. Em 2020 ele chegou a atuar até como linebacker após acumular apenas 12 carregadas nas primeiras duas temporadas. Contudo, no ano passado foram 257 tentativas para 1601 jardas e 12 TDs, seu primeiro ano consolidado em Baylor e consequentemente um ano de explosão no College. Smith correu para uma incrível média de 6,2 jardas por carregada, mas não mostrou grande poder recebendo a bola, com apenas 75 jardas, o que pode fazer as franquias preferirem outros RBs à sua frente.


Coby Bryant, Cornerback, Cincinnati


Sim, a pronúncia do seu nome é igual ao do lendário jogador de basquete, Kobe Bryant. Atuando desde 2018 como cornerback em Cincinnati, Bryant registrou 134 tackles, sendo 5 para perda de jardas, 9 interceptações, 1 TD, 35 passes defendidos e 4 fumbles forçados. Sua dupla de CB, Ahmad Gardner, está cotado para sair mais acima, mas Coby Bryant, que também foi peça importante para levar Cincinnati à semi-final do College, pode cair para uma possível terceira rodada e é uma ótimo nome para times com dificuldades na secundária. Bryant também venceu o prêmio Jim Thorpe em 2021, prêmio concedido ao melhor defensive back da temporada do College.


Verone McKinley III, safety, Oregon


Em uma boa defesa de Oregon em 2021, McKinley combinou 77 tackles, 6 passes defendidos e 6 interceptações, sendo o defensor com mais INTs da universidade e na Pac-12 no último ano e o segundo da universidade em tackles. Um destaque na última temporada foi seu jogo contra Ohio State, onde ele acumulou 2 passes defendidos, 1 INT, 1 fumble forçado e 6 tackles. 2019 também foi um ano produtivo, quando ele conseguiu 4 interceptações e 2 passes defendidos.


AP Photo/Jay LaPrete

John Metchie, Wide Receiver, Alabama


Com duas temporadas (2020-21) bem produtivas por Alabama, John Metchie ficou um tanto quanto ofuscado por Jameson Williams, melhor WR da universidade. Em 2021, ele terminou a temporada com o maior número de recepções da universidade (96) e foi o segundo em jardas (1142), atrás apenas de Williams, além de anotar 8 TDs. Nesta lista, Metchie é quem possuía a maior chance de sair já no início da segunda rodada, porém o WR rompeu o ligamento cruzado anterior na final da conferência SEC contra Georgia, o que pode lhe causar uma queda no Draft. Seu companheiro, Jameson Williams, sofreu a mesma lesão na final do College, também contra Georgia.


Breece Hall, Running Back, Iowa State


Após três temporadas em Iowa State, Breece Hall registrou um total de 4675 jardas de scrimmage, sendo mais de 1700 nos últimos dois anos. Com 50 TDs correndo com a bola, o site da NFL destacou que ele possui 5 touchdowns de 75 jardas ou mais na carreira. Hall também recebe bem a bola, garantindo 734 jardas e 6 TDs recebidos em 3 anos. Nas últimas duas temporadas, o RB foi o primeiro da Pac-12 em pontos anotados, com 138 (23 TDs) nos dois anos. No tiro de 40 jardas do Combine, ele anotou um tempo de 4,39 segundos, sexto melhor entre os running backs. Hall também pode ser uma aposta já no segundo dia de Draft.

BANNERLATERAL_TRAKTOR.png
BANNERLATERAL_FANATICA.png