• Anna Carolina

Bills recebem os Texans para mostrar poder de força na AFC

A temporada regular da NFL é competitiva em um todo, mas podem acontecer alguns mash-ups que nós olhamos e dizemos que é injusto, de tão desigual que parece ser. Este é o caso do jogo do próximo domingo entre Buffalo Bills e Houston Texans, às 14 horas (pelo horário de Brasília) e no Highmark Stadium, casa dos Bills.



Ambos os times estão com campanhas e situações completamente opostas. Buffalo está neste momento 2-1, é o líder absoluto da AFC East e forte candidato à final de conferência e, quem sabe, Super Bowl. Já Houston tem campanha 1-2 e está em 2° lugar na AFC South. No entanto, isso é mais mérito desta divisão ser uma bagunça do que o time estar competindo por pós-temporada. Os Texans vivem em um estranho rebuild, além de estarem envolvidos no imbróglio Deshaun Watson. Mais diferentes, impossível. Isso não quer dizer, porém, que não podem ter histórias interessantes nesse jogo.


Troy Taormina/USA TODAY Sports

Catar as peças para o futuro é o importante para os Texans


Torcedor do Houston Texans, a realidade é essa. Porém, as previsões de 0-18 não se concretizaram e o time está melhor do que se imaginava (o que não é muito). O último jogo contra o Carolina Panthers mostrou que algumas peças podem ser aproveitadas para o futuro. O problema para esta semana 4 é que os Bills estão alguns (muitos) degraus acima dos Panthers.


A defesa de Houston terá chances de atrapalhar um pouco a vida do aniversário se forçar turnovers. Os Bills vêm tendo problemas de fumble e Josh Allen estava com a pontaria menos apurada que o normal no jogo contra Washington. A questão, porém, está no fato da defesa de Washington ser melhor do que a dos Texans, no papel e na prática – e levou 40 pontos do ataque de Buffalo. Imagine contra uma defesa bem pior, com buracos em inúmeros setores (praticamente não há cornerbacks nesse time, por exemplo).


O ataque também não traz nenhuma esperança. Davis Mills tem um bracinho de tiranossauro rex e processa o jogo de maneira muito lenta. O ataque aéreo é pobre, apesar de Brandin Cooks estar jogando bem na medida do possível. Já o ponto forte desse time, o jogo terrestre, deve encontrar muitos problemas. A defesa dos Bills é excelente e tem talento de sobra para frear o ataque dos Texans. Resumindo: a situação tem tudo para ser a mais feia possível. Não há muito o que falar mais sobre, infelizmente.


Vencer dominando é um demonstrativo de força


Michael Reeves/Getty Images

Fato: o Buffalo Bills é mais do que favorito para esse jogo. A diferença de qualidade entre os dois times é colossal – não há como esconder isso. Porém, são nestes momentos de favoritismo em que o elenco precisa mostrar por que está nas prateleiras de cima da NFL. É exatamente isso que os Bills devem fazer no domingo: passar o carro e não deixar nenhuma dúvida que é uma equipe para chegar nas cabeças.


O confronto contra Houston tem altas chances de ter um protagonista: Stefon Diggs. O wide receiver vem tendo um bom início de temporada, com média de 60 a 70 jardas nos últimos três jogos. São números bons, mas ele é capaz de fazer coisas maiores – e o jogo contra os Texans é a oportunidade perfeita para ele apavorar. A secundária de Houston é uma das piores da liga, sendo o melhor mash-up para Diggs passar das 100 jardas facilmente.


O jogo terrestre também deve ter algum destaque. De longe um dos pontos mais fracos dos Bills, o corpo de running backs pode dar bastante trabalho à defesa dos Texans. Zack Moss teve um início de temporada abaixo do esperado, mas ele e Devin Singletary mostraram melhora conforme vieram os outros jogos. O outro ponto mais fraco, a linha ofensiva, não deve ter muito trabalho, apesar de perder Jon Feliciano - ele sofreu uma concussão na semana anterior e não joga no domingo.


A defesa não deve encontrar grandes dificuldades, apesar de ter alguns desfalques. O safety Jordan Poyer não jogará por conta de uma pequena lesão no joelho. Ele se machucou durante a partida contra Washington e provavelmente seu substituto será Jaquan Johnson. Além de Poyer, o defensive end Efe Obada e o cornerback Taron Johnson foram colocados como “questionáveis” no domingo, enquanto o linebacker Zach Cunningham está fora por conta dos protocolos de Covid-19.


Palpites


Vai ser muito difícil Houston dar algum tipo de trabalho nesse jogo. Os Bills são atualmente um dos times mais fortes da NFL e certamente aproveitará o duelo para mostrar ao mundo por que merece estar nas cabeças. Não será nada surpreendente se Buffalo ter mais de 30 pontos, assim como foi contra Washington. Levando em conta que os Texans são uma equipe pior ainda, a tendência é que seja uma outra surra.

BANNERLATERAL_TRAKTOR.png
BANNERLATERAL_FANATICA.png