• Anna Carolina

Amari Cooper trocado para o Cleveland Browns

Os rumores já existiam, porém agora veio a confirmação: Amari Cooper não é mais jogador do Dallas Cowboys. O wide receiver agora será jogador do Cleveland Browns – a troca foi confirmada no último sábado [12/03] pela jornalista de NFL Josina Anderson.



De acordo com os reports, os Browns recebem Cooper e uma escolha de sexta rodada no draft deste ano. Já os Cowboys ganham com a troca uma pick de quinta rodada e outra de sexta.



Para Cleveland, é (mais) uma tentativa de fazer uma dupla com Mayfield


Olhando sob a perspectiva dos Browns, é bem fácil de enxergar por que o time se interessou por Amari Cooper: eles precisavam de um wide receiver. Os Browns viram Odell Beckham Jr. ir embora no meio da última temporada e deram adeus à Jarvis Landry nessa próxima. O corpo de recebedores ficaria sem um nome principal, algo que já é solucionado com a vinda de Cooper.


Matthew Emmons/USA TODAY Sports

Mesmo não vindo de um grande ano, Amari Cooper ainda era um dos jogadores mais produtivos da posição na free agency. Em 2021, ele teve 68 recepções para 865 jardas e 8 touchdowns. Números magros para ele, porém melhores do que de nomes badalados disponíveis, como Allen Robinson, D.J. Chark e Christian Kirk. Além disso, considerando as últimas três temporadas, Cooper está no top 20 da posição, com 3168 jardas e 21 touchdowns. Detalhe: ele perdeu apenas dois jogos nos últimos três anos e terá 28 anos no início da próxima temporada – jovem o suficiente para ser a principal ameaça aérea em Cleveland, já que Landry foi embora.


Outro fator positivo para os Browns é o contrato do WR: Amari Cooper só irá custar $22 milhões neste ano e nada além disso. Se ele não render o que a franquia espera na próxima temporada, os Browns podem libera-lo sem comprometer sua folha salarial. Em termos gerais, a troca de Amari Cooper traz profundidade ao corpo de recebedores, em especial em rotas. A grande dúvida aqui não cai nem sobre o próprio Amari, mas sim sobre outra pessoa.


Charles LeClaire/USA TODAY Sports

O carnaval ambulante Odell Beckham Jr. deixou mais marcas do que a diretoria de Cleveland gostaria de admitir. Em torno das polêmicas envolvendo ele e Baker Mayfield, no final da história foi Odell que saiu sorrindo - afinal de contas, foi só se mudar para Los Angeles para ele ganhar seu anel de Super Bowl. Já os Browns saíram com um baita prejuízo: além de não ir para os playoffs, viu as lesões detonarem seus jogadores e, em especial, viu seu quarterback ter um péssimo ano.


Ok, Baker jogou boa parte da temporada lidando com lesões, no entanto sua situação na franquia entrou em uma espécie de limbo. Ele entrará no seu quinto ano de contrato – e isso é tudo que sabemos até agora. Ninguém na diretoria dos Browns comentou sobre a renovação do contrato de Baker, ou seja: 2022 será um ano de “vai ou racha” para o QB. Se ele conseguirá formar uma boa dupla com Amari Cooper, ou se terá as mesmas turbulências como antes, somente o tempo dirá. No momento, a troca de Cleveland só não é perfeita por conta das dúvidas em cima do quarterback.


Salvar dinheiro é importante, mas a nuvem de dúvida não vai embora de Dallas


Sendo honesta, era bem difícil acreditar que Cooper seguiria nos Cowboys em 2022. O time estava acima do teto salarial definido pela liga e os 22 milhões de dólares do seu contrato pesariam na folha. Amari Cooper já não vinha de uma temporada de destaque, e depois que Jerry Jones, o dono da franquia, criticou fortemente o time após a eliminação para os 49ers nos playoffs, a relação entre o WR e Dallas parecia já estar perto do fim. Era questão de tempo ele ir embora – e a hora chegou.


Mitchell Leff/Getty Images

Apesar de ter sido óbvia, Dak Prescott sai como um perdedor desta troca, de certa maneira. Amari Cooper era seu “parça” e sua conexão com o wide receiver foi formidável nesses últimos quatro anos quase. Porém, a importância de Cooper no ataque de Dallas foi reduzida, abrindo espaço para Michael Gallup (que acabou de renovar seu contrato), o tight end Dalton Schultz (que está sob franchise tag) e, claro, CeeDee Lamb – que é o atual WR1 do time. Para quem iria receber $22 milhões neste ano, tendo menos de 1000 jardas no ano anterior, seria realmente difícil acreditar que Cooper continuaria na equipe.


Com a saída do WR, os Cowboys economizam $16 milhões na folha, algo que ajuda (e muito) na hora de reforçar outros setores. Micah Parsons e Osa Odighizuwa foram belíssimos achados no draft do ano passado, mas eles não resolvem sozinhos os problemas da defesa. Jerry Jones acertou nessa troca – o problema é que ela saiu barata até demais. A maioria dos rumores antes do acordo falavam sobre os Cowboys recebendo uma escolha de draft de segunda rodada por Cooper: no fim, os Browns enviaram uma quinta e uma sexta. Capitalizar picks no draft é importante, mas para quem enviou uma pick de primeira rodada para conseguir Amari Cooper em 2018, a troca foi à preço de banana.


Ver um jogador talentoso como o wide receiver ir embora pode ser dolorido para o torcedor, mas foi algo inevitável. A não ser que não resolva pegar alguém no draft deste ano – algo difícil de acontecer, com uma classe tão profunda -, o ataque dos Cowboys perde qualidade neste ano. No entanto, Dallas precisa arcar com os erros do passado (vide contrato de Ezekiel Elliott) e definir de verdade suas metas para chegar na pós-temporada e vencer.

BANNERLATERAL_TRAKTOR.png
BANNERLATERAL_FANATICA.png