• Aharon Santos

All-Underrated – Time dos defensores mais subestimados da NFL

Jogadores como Aaron Donald e Jalen Ramsey recebem muito crédito – merecidamente – por parte das torcidas e da mídia, sendo constantemente citados como os melhores de suas posições. Porém, para alguns jogadores, esse não é o caso.



Nesse texto, iremos conhecer alguns nomes de defensores que geralmente passam despercebidos nessas discussões ou apenas não recebem o reconhecimento que merecem. O time será formado no esquema 4-3, com 2 DTs, 2 DEs, 3 LBs, 2 S e 2 CBs, além de uma menção honrosa.


DE BRANDON GRAHAM, Philadelphia Eagles



Brandon Graham já foi selecionado ao segundo time All-Pro em 2016 e eleito ao Pro Bowl em 2020, com essa última temporada lhe rendendo uma renovação de contrato. Vem sendo um dos jogadores mais constantes dos últimos anos: Segundo a CBS, é o 4º jogador com mais pressões ao QB desde 2017 (atrás apenas de Aaron Donald, Cameron Jordan e Khalil Mack).


DE BRIAN BURNS, Carolina Panthers


panthers

Brian Burns, foi o 5º EDGE selecionado no Draft de 2019, pelo Carolina Panthers, e passou seu ano de novato em baixa devido a lesões e subutilização por parte da comissão técnica de Ron Rivera. Estando saudável e sob o comando do DC Phil Snow, o DE de 23 anos conseguiu a 4ª melhor marca de “taxa de vitória em Pass Rush” entre todos os EDGES da liga.


DT MATT IOANNIDIS, Washington Football Team



Matt Ioannidis jogou apenas 88 snaps na última temporada, sendo colocado na Injury Reserve após uma cirurgia no bíceps que o acabou tirando do resto da temporada. Porém, quando esteve saudável nas últimas 3 temporadas, conseguiu 20 sacks e 44 hits no QB. Com a chegada e evolução do DE Chase Young, sua produção deve aumentar ainda mais.


DT ADAM BUTLER, Miami Dolphins



Apesar de não saltar na Box Score, o DT contratado como Undrafted em 2017 pelo New England Patriots foi vital para o Pass Rush comandado por Bill Belichick. Em 2020, foi o 3º Defensive Tackle com a maior taxa de bloqueios duplos (double team) puxados, atrás apenas de Aaron Donald e Fletcher Cox, e conseguiu mantar um desempenho no Pass Rush acima da média. Assinou com o Miami Dolphins por 2 anos nessa intertemporada.


LB DEVIN WHITE, Tampa Bay Buccaneers



Sendo selecionado com a 5ª escolha geral do Draft de 2019, as expectativas para o LB do Tampa Bay Buccaneers eram enormes. Até sua segunda temporada, as expectativas foram alcançadas, com Devin White sendo selecionado ao segundo time All-Pro em 2020. Apesar de ficar um pouco na sombra de Lavonte David – que também poderia ter aparecido nessa lista –, White é reconhecido por seus adversários como um dos melhores da sua posição e foi o 3º LB com o maior número de tackles para perdas de jardas na última temporada.


LB ERIC KENDRICKS, Minnesota Vikings



Apesar de receber um pouco de reconhecimento, principalmente vindo da torcida dos Vikings, não chega perto de sua habilidade e produção nos últimos anos. Muito se fala em Bobby Wagner e até mesmo Fred Warner, porém Eric Kendricks pode ser considerado no nível desses dois. Desde 2019, é o primeiro colocado entre os LBs em Passes Incompletos Forçados e também segundo a PFF (tanto no geral como em nota de cobertura ao passe).


LB DONT’A HIGHTOWER, New England Patriots



Quando saudável, Dont’a Hightower é um dos melhores LBs em Pass Rush da liga. Sua importância para a defesa do New England Patriots e Bill Belichick nos últimos anos é gigante, com o LB tendo iniciado a virada no Super Bowl LI (51) contra o Atlanta Falcons com um Strip Sack no QB Matt Ryan. Sua falta de proficiência em cobertura pode ter feito com que ele fosse subestimado, mas o 3x campeão do Super Bowl volta após o ano de opt out como um belo reforço para a defesa dos Patriots.


FS JESSIE BATES III, Cincinnati Bengals.



Jessie Bates foi talvez o melhor Safety em 2020, mas aqueles que não acompanham a NFL ou até mesmo o Cincinnati Bengals tão assiduamente, não devem nem reconhecer o nome dele. Esse é o tanto que esse jogador é subestimado, tanto pelas torcidas como pela mídia no geral. Foi o S com mais Passes Incompletos Forçados, com 12, além de ser o S com a maior nota para a PFF, com 90.1. Mesmo com essa alta nota, a própria Pro Football Focus deixou o jogador de fora de seu Top 50 Jogadores da NFL para 2021.


SS JORDAN POYER, Buffalo Bills



Apesar de o foco da mídia no Buffalo Bills estar voltado para o ataque formado por Josh Allen, Stefon Diggs e compania, a defesa também conta com ótimas peças que acabam passando despercebidas. Jordan Poyer é o 2º Safety com mais tackles desde 2018, atrás apenas de Budda Baker, tendo o 4º menor rating cedido em cobertura desde 2017. Jogou 68 dos 69 jogos dos Bills desde 2017.


CB DARIOUS WILLIAMS, Los Angeles Rams



As expectativas para Darious Williams não eram muito altas, ainda mais depois de ser cortado pelo Baltimore Ravens no ano em que foi contratado como Undrafted, em 2018. Porém, conquistando a vaga que sobrava na defesa dos Rams, forma uma das melhores duplas de CBs junto com o astro Jalen Ramsey, que acaba “roubando” o holofote. Em menos de 3 anos Williams foi de Undrafted cortado pelos Ravens para um jogador que recebeu uma “tender” de primeira rodada pelos Rams, que possui uma das defesas mais badaladas da liga.


CB JC JACKSON, New England Patriots



Assim como Darious Williams, JC Jackson também acaba ficando um pouco na sombra de sua dupla - no caso dele, o DPOY de 2019 Stephon Gilmore. Porém, Jackson vem sendo um dos melhores cornerbacks da liga nos últimos 3 anos, sendo o jogador com mais INTs (interceptações) ao longo das últimas duas temporadas – com 14. O New England Patriots usou um “tender” de 2ª rodada nele, conseguindo manter o JC no elenco por mais um ano pela barganha de $3.4 milhões, se considerada a qualidade de um integrante de uma das melhores duplas de CBs da liga.


MENÇÃO HONROSA


CB BRYCE CALLAHAN, Denver Broncos



Bryce Callahan tem o potencial de ser reconhecido como o melhor CB da liga, pelo menos jogando no slot, inclusive tendo concedido o menor rating de passe na liga desde 2019, com apenas 46.9, e sendo o CB com menos jardas concedidas por alvo em toda a liga em 2020. Com todos esses números contando a seu favor, a pedra no sapato de Bryce Callahan são as lesões: estando desde 2015 na liga, nunca conseguiu jogar mais de 13 jogos em uma temporada. Se mantendo saudável, tem tudo para receber o reconhecimento merecido.

BANNERLATERAL_TRAKTOR.png
BANNERLATERAL_FANATICA.png