• Marcos Vinicius Soares

ACABOU O CAÔ, O RODGERS CHEGOU! Packers vencem e acabam com invencibilidade dos Cardinals em jogaço

Ah, a NFL é boa demais! Green Bay Packers e Arizona Cardinals travaram uma batalha imprevisível até os últimos segundos no deserto de Phoenix, e foi no apagar dos luzes do State Farm Stadium que os visitantes conseguiram uma interceptação na end zone que selou a vitória e o fim da invencibilidade dos Cardinals. Será que esse Thursday Night Football foi só começo de uma semana 8 recheada de emoção? Tomara que sim que fã da bola oval.


Prato do dia: domínio nas trincheiras


Com um série de desfalques, seja por lesão, COVID e outros, os Packers não pareciam ter força total para este importante duelo pelo topo da Conferência Nacional diante dos Cardinals, em Arizona. Davante Adams, Jaire Alexander, Allen Lazard, Za'darius Smith e uma longa lista de nomes estavam inativos para o confronto, mas se teve algo que os cabeças de queijo mostrara, hoje em Phoenix foi força!



Os comandados de Matt LaFleur dominaram as trincheiras, esbanjando fisicalidade, atleticismo, técnica e força bruta também. Green Bay contou com um monstro de duas cabeças do backfield, tendo suas corridas capitaneadas pela dupla AJ Dillon e Aaron Jones, o primeiro correndo com força e o segundo desfilando técnica. Juntos, os dois somaram 137 jardas em 31 carregadas, com uma ótima média de 4.41 jardas por tentativas e foram um verdadeiro rolo compressor contra o front seven de Arizona, que parecia não ter qualquer resposta na linha scrimmage e linebackers para a dupla e os bloqueios da linha ofensiva dos tetracampeões do Super Bowl.


O desempenho de Dillon e Jones foi vital em uma noite que Rodgers completou menos de 60% dos passes e sequer lançou 200 jardas, pois o território que ambos conquistaram pelo chão, aliviou o peso dos ombros do atual MVP, que não contava com seus melhores recebedores e ainda perdeu Robert Tonyan ao longo do confronto. O quarterback soube trabalhar muito bem com o espaço proporcionado pela atenção que a defesa dos Cardinals dava a sua dupla de running backs, principalmente na red zone, onde ele capitalizou com dois passes para touchdown na direção do wide receiver Randall Cobb, praticamente o único alvo confiável em campo.


Do outro lado do campo, o domínio foi semelhante, pois a linha defensiva trabalho muito bem com stunts para pressionar Kyler Murray, conseguindo dois sacks, três pancadas e diversos apressamentos de passe e jogadas que forçaram o quarterback de Arizona a sair do pocket. Além do trabalho contra o passe, a contenção terrestre também viveu grande dia, e se descontarmos as corridas de Murray, a unidade cedeu apenas 52 jardas. Os elogios só não são tão grandes quanto no ataque, porque houve algumas jogadas explosivas, que levantaram a média do jogo corrido dos mandantes para 4.3 jardas por tentativa, e todos os três touchdowns dos Cardinals foram marcados pelo solo, demonstrando certa fragilidade na red zone.



MVP? Hoje não


Sem um jogo terrestre sólido e com o pocket desconfortável, Kyler Murray teve sua pior partida na temporada, e justamente nela, Arizona perdeu sua invencibilidade. O quarterback não lançou nenhum touchdown, sofreu duas interceptações e viveu mais de lampejos, com bons passes isolados, do que teve uma atuação minimamente consistente. Seu rating de 67.0 é pouco mais da metade dos seus 116 de média na temporada até então. Porém, vocês sabem como se diz né? Quem sabe das paradas, sabe, não é mesmo?


Apesar do jogo irregular, Murray conseguiu deixar os Cardinals em condições reais de vencer a partida. Após a defesa forçar um turnover on downs na linha de meia jarda do campo defensivo, Kyler recebeu a bola com as costas na parede para tentar comandar o game-winning drive, e faltou muito pouco para ele conseguir. Após uma converter uma terceira para dez jardas com as costas na parede depois de um belo passe em profundidade para AJ Green, ele marchou o campo todo e com 14 segundos no relógio, deixou Arizona em uma segunda para o gol na porta da end zone dos Packers. O touchdown parecia inevitável e por consequência, a vitória, enquanto o field goal e a prorrogação já pareciam ao menos garantidos no State Farm Stadium, mas podemos dizer que o improvável surgiu no gramado.


O quarterback lançou um passe na direção de AJ Green, mas o wide receiver jamais se virou para receber a bola e atento, o cornerback Rasul Douglas, esticou o braço, fez um pouco de malabarismo e conseguiu a interceptação que selou a vitória de Green Bay, e fechou uma noite que certamente Kyler Murray prefere esquecer.



A derrota coloca os Packers momentaneamente na liderança da Conferência Nacional, a depender do resultados Buccaneers diante dos Saints no domingo, enquanto os Cardinals perdem sua invencibilidade, mas mantém a liderança da NFC West.


As duas equipes retornam a campo na semana 9, quando o Green Bay Packers visita o Kansas City Chiefs no Arrowhead Stadium no domingo, 07 de novembro às 18h25, para o primeiro Rodgers vs Mahomes da história. No mesmo dia e horário, o Arizona Cardinals visita o São Francisco 49ers no Levi Stadium, para o duelo divisional que promete ser quente, basta lembrar do primeiro jogo entre as equipes há algumas semanas.



BANNERLATERAL_TRAKTOR.png
BANNERLATERAL_FANATICA.png