• Guilherme Bana – @BoltsBrasil

A derrota que não se pode esquecer - Guilherme Bana @boltsbrasil

O roteiro de uma offseason para o torcedor do Chargers nos últimos anos costuma ser bem semelhante. Depois de uma temporada frustrante dentro de campo – geralmente a culpa recaí sobre as lesões nos principais jogadores, o front office encontra alguns bons valores na free agency para mascarar certas deficiências e depois tem um draft que, mais vezes do que menos, é elogiado por especialistas.


Tudo isso culmina em uma grande expectativa sobre o time, afinal, um elenco com bons talentos e ainda reforçado e saudável, teria, em tese, todos os mecanismos para deslanchar na temporada seguinte. Já se perdeu as contas de quantas vezes o Chargers “ganhou” a offseason nos últimos anos. No entanto, os resultados não acompanharam a expectativa gerada.


gif

2022 não é diferente. Os movimentos – mais do que conhecidos – que a franquia fez nessa offseason geram um enorme anseio sobre onde esse time pode chegar. Por mais que seja difícil não se empolgar com o elenco do Chargers, o histórico recente mostra que a prudência é o caminho a ser adotado ao tentar prever o que esse time pode alcançar.


É por tal motivo que o Brandon Staley, head coach da franquia, fez questão de relembrar aos remanescentes do elenco da temporada passada como o ano deles acabou, como o próprio head coach confidenciou ao Albert Breer, em coluna no Monday Morning Quarterback.


Staley queria passar uma mensagem importante para o elenco. Para isso, reuniu todos eles e lhes mostrou a última jogada de cada um na temporada de 2021. Incluiu o último snap do Khalil Mack pelo Bears, o último snap de JC Jackson e Kyle Van Noy pelo Patriots na derrota acachapante para o Bills nos playoffs. Mostrou, também, o último snap do Sebastian Joseph Day pelo Rams na conquista do Super Bowl. Evidentemente que cada um desses reforços chega com uma motivação e um passado diferente.


Na sequência, Staley mostrou o field goal que Daniel Carlson converteu no último lance da prorrogação na semana 18, no dia 09 de janeiro de 2021, e que culminou na não classificação do Chargers aos playoffs. Para muitos que estavam presentes naquela sala, esse foi o lance derradeiro da última temporada.


O recado não poderia ser mais claro. Relembrá-los que, por mais talentoso que o time fosse, não alcançaram seu objetivo. Não ganharam nada. Não corresponderam com a expectativa. Mostrá-los, sobretudo, que não haverá espaço para comodismo quando não fizeram por onde no passado.


Ninguém gosta de perder, óbvio. E por mais que possa parecer um discurso fracassado e batido, de certa forma aquela derrota contra o Raiders pode ser benéfica para o Chargers em 2022. O clichê que “se aprende mais nas derrotas do que nas vitórias” pode ser aplicado nesse contexto, afinal, o time, que chega com grandes estrelas para competir em uma divisão forte e em uma conferência ainda mais forte, não tem o direito de pensar que as coisas lhe serão entregues de bandeja.


Por melhor que seja o time (no papel) atualmente, por maior que seja a expectativa sobre eles, aquela derrota serve, na concepção do Staley, para relembrá-los que eles não atingiram seus objetivos no passado. Serve, em outras palavras, para fazê-los colocar os pés no chão e trabalharem, pois ninguém dentro da franquia tem direito de pensar tão bem sobre si mesmo.


E essa visão, apesar de rudimentar, faz sentido. Caso o Chargers tivesse ganhado aquele jogo e se classificado aos playoffs, a narrativa atual com toda certeza seria diferente. Talvez, muito talvez, os movimentos que o front office fez durante a offseason ao trocar por Khalil Mack, contratar JC Jackson e tantos outros, não aconteceriam, pois poderia haver uma sensação de que aquele time era bom o suficiente para ir longe no ano seguinte.


gif

O Chargers de 2021, como já falado em outros momentos, teve lampejos de um excelente time, mas também teve momentos angustiantes e alarmantes. Se ficou perto de se classificar aos playoffs, também ficou perto de ser um time com recorde negativo. Jamais teremos resposta para a dúvida que temos, isto é, sobre o estrago que aquele grupo de jogadores poderia fazer nos playoffs de 2021, mas entender o contexto e aceitar que há males que vem para o bem é uma forma de seguir em frente.


Por mais que a NFL seja uma liga onde pouco se olha para o passado, uma vez que a rotatividade dos elencos é grande, é importante ter a lucidez para compreender que, em certos momentos, o melhor que você pode fazer é justamente cutucar aquela ferida aberta e mexer com o brio dos seus jogadores.


E não só dos jogadores. Por mais que a mensagem tenha sido direcionada para aqueles dentro da organização (jogadores, coaching staff e funcionários), de uma forma ou de outra, ela também se aplica aos torcedores. No entanto, pedir racionalidade e calma para uma torcida carente de bons momentos e carregada de decepções recentes pode não ser tão simples, afinal, estamos falando de paixões.


Trata-se, outrossim, de uma torcida já calejada e ciente de que potencial nem sempre significa resultados, mas ainda assim é difícil não se deixar levar pelas circunstâncias que se apresentam. Nesses casos, saber dosar as expectativas é um mecanismo de auto defesa que muitos já adotaram, de modo que, trazer à tona aquela derrota contra o Raiders serve para, antes de mais nada, nos lembrar que esse time ainda tem um longo caminho pela frente.


O processo dentro do Chargers durante essa offseason tem sido justamente para garantir que o elenco finalmente corresponda com aquilo que se espera dele, e qualquer motivação com esse intuito é válida nesse momento. Por conta disso, quando o Staley se refere àquela derrota contra o Raiders, ele não a trata como um fim, mas sim como um começo, um começo para a temporada de 2022, pautado, sobretudo, nas nossas próprias decepções passadas.


O resultado desse mecanismo, que não é inovador diga-se, só saberemos mais adiante, mas tal processo é algo que todo torcedor do Chargers se sentiria representado. Afinal, se temos algo acumulado, são decepções suficientes para servirem como incentivo.

BANNERLATERAL_TRAKTOR.png
BANNERLATERAL_FANATICA.png