• Mateus Bertuol

3 pontos para ficar de olho na estreia do Arizona Cardinals

No ano do tudo ou nada para o head coach Kliff Kingsbury, o Arizona Cardinals chega ainda mais reforçado para 2021 no intuito de enfim chegar aos playoffs que não vêm desde 2015, mas será que esse ano será iluminado para a franquia? Vamos ver três pontos interessantes na estreia da equipe nessa tão importante temporada.



A dupla Hopkins e Green


DeAndre Hopkins foi o principal alvo do QB Kyle Murray no ano passado, acumulando 115 recepções para 1407 jardas e 6 touchdowns. Porém, além de Hopkins o resto dos recebedores dos Cardinals não foram bem, e Larry Fitzerald – que era o principal antes de Hopkins – teve uma temporada muito abaixo do que vinha tendo.


Para esse ano, Hopkins recebeu a companhia de AJ Green – que também não vem de boa temporada nos Bengals – mas tem mais lenha para queimar do que Fitzgerald, e se conseguir se manter saudável pode ajudar a não sobrecarregar Hopkins. Como os Titans tem problemas na secundária, essa dupla pode aparecer no jogo de domingo.


Norm Hall/Getty Images

O corpo de cornerbacks


Após a recente perda de Malcolm Butler, o corpo de cornerbacks – que já não era forte – fica ainda mais fragilizado e tende a ser o ponto mais fraco dessa defesa. O veterano Robert Alford é a principal peça para a função e deve fazer dupla com Byron Murphy Jr.


Com a chegada de Julio Jones nessa offseason, o corpo de recebedores dos Titans ficou bem mais forte e promete dificultar a vida da secundária de Arizona, que além de Budda Baker tem nomes bem fracos. Será muito difícil para os CBs marcarem Jones e AJ Brown e ao mesmo tempo precisarem cuidar do jogo terrestre de Derrick Henry.


Ralph Freso/Getty Images

A não ser que uma troca aconteça, no mercado não existem mais nomes de impacto para a posição de CB e o que resta para a franquia é encarar a temporada com o grupo atual, tentando não prejudicar o desempenho defensivo.


A linha defensiva


Se por um lado a secundária está fragilizada, a linha defensiva tende a ser uma grande arma da equipe para 2021. Após a chegada de JJ Watt e a permanência – por enquanto – de Chandler Jones, torna a DL dos Cardinals muito forte. Já que a vida dos cornerbacks de Arizona vai difícil por ter que marcar fortes wide receivers e um espetacular running back, o trabalho que a linha ofensiva de Tennessee não será fácil também.


Joe Camporeale-USA TODAY Sports

Os Titans tiveram problemas com a linha ofensiva nos últimos anos, e o play action foi uma das soluções adotadas para o ataque fluir. Contudo, juntamente com o corpo de linebackers bem agressivo, JJ Watt e Chandler Jones podem causar sérios pesadelos para Ryan Tannehill e companhia.

BANNERLATERAL_TRAKTOR.png
BANNERLATERAL_FANATICA.png