• Gustavo Silva

3 fatos para se empolgar e se preocupar dos Chargers

Após duas temporadas negativas e sem ir aos playoffs, os Chargers chegam para a temporada de 2021 renovados. A franquia vem para o seu segundo ano de Justin Herbert, após a saída do ídolo Philip Rivers, com uma comissão técnica totalmente reformulada e uma linha ofensiva reforçada. Em uma divisão extremamente competitiva, os Chargers buscam uma classificação aos playoffs após duas temporadas sem chegar na pós temporada. Por isso, separamos 3 fatores para se empolgar e para se preocupar em relação a franquia. Confiram:



Para se empolgar


Justin Herbert


Após 16 anos como quarterback da franquia, Philip Rivers saiu dos Chargers em 2020, onde jogou pelos Colts. Os Chargers buscaram seu substituto no draft, e a escolha deu muito certo.


Com a pick de número 6 do draft de 2020, a franquia selecionou Justin Herbert, que apesar de ser o terceiro quarterback da classe, muitos desacreditavam do calouro, chegando a considera-lo como bust antes mesmo de estrear.


Apesar das críticas, Herbert chegou nos Chargers e jogou como se já estivesse na franquia por muitos anos, fez uma ótima temporada de calouro e foi eleito o calouro ofensivo do ano, e apesar da campanha negativa, atingiu números incríveis, como 66.6% de seus passes completos 4336 jardas, 31 touchdown, 10 interceptações com um rating de 98.3. Se continuar evoluindo como o esperado em sua segunda temporada, o quarterback pode virar um dos melhores da liga e conduzir os Chargers de volta a pós temporada.


AP Photo/Jae C. Hong

Linha ofensiva


O setor que vinha sendo um pesadelo para os Chargers desde os últimos anos de Philip Rivers parece ter se resolvido. Após mais um péssimo ano da linha ofensiva da franquia, deixando Justin Herbert ser sackado 32 vezes na temporada, os Chargers foram atrás de reforços para o setor na offseason. Trouxeram via free agent dois jogadores para serem titulares: o center all pro Corey Linsley e o guard Matt Feiler; além do guard Oday Aboushi para a rotação. Já no draft, os Chargers trouxeram o tackle Rashawn Slater, que para muitos era o melhor da posição; e também trouxeram o tackle Brenden Jaimes.


Com a adição de ótimos nomes ao elenco, o setor que antes era um pesadelo aos quarterbacks da franquia nas últimas temporadas, pode se tornar uma linha sólida para Justin Herbert.



Defesa


A defesa dos Chargers era um dos setores quem também preocupavam os torcedores da franquia. Mesmo com um pass rush muito forte com Joey Bosa e Melvin Ingram, a secundária era um problema. Porém, a equipe reforçou o setor via draft, selecionando o CB Asante Samuel Jr. Outro fator que pode impactar na defesa é a chegada do novo HC da franquia, Brandon Staley, que em sua primeira temporada como coordenador ofensivo na liga, transformou a defesa dos Los Angeles Rams na melhor da NFL, com destaque para a poderosa secundária da equipe.


A soma de reforços em posições carentes com um especialista em defesa, podem ajudar e muito para que a defesa da franquia mude de patamar.



Para se preocupar


Lesões


As lesões tem sido um grande problema pra franquia nas últimas temporadas. Se manter saudável em Los Angeles parece não ser uma opção, durante a temporada passada a franquia sofreu com lesões de jogadores importantes como: Tyrod Taylor (quarteback titular até a lesão), Austin Ekeler, Melvin Ingram e Derwin James.


E o problema não ocorreu apenas na temporada passada, em 2019 a franquia também sofreu com muitas lesões como as de Hunter Henry, Derwin James, Russell Okung, Adrian Phillips e Trevor Willians.


Se quiser jogar em alto nível e manter o rendimento, é necessário que os Chargers encontrem uma forma de conseguir manter seus jogadores saudáveis, para poderem sonhar com algo a mais.



Divisão forte


Os Chargers estão na divisão do atual bi campeão da AFC, Kansas City Chiefs, onde também fazem parte a forte equipe do Denver Broncos e um Las Vegas Raiders em reformulação.


Apesar de na temporada passada ter aberto uma vaga a mais para os playoffs, a AFC West acaba sendo uma divisão muito complicada para os times, pois Denver Broncos e Kansas City Chiefs tem tudo para vir para 2021 com times fortes e até o momento são os favoritos para ir aos playoffs (os Broncos se conseguirem se manter saudáveis), e essa competitividade na divisão pode acabar elevando ainda mais a briga por uma vaga nos playoffs.



Primeiro ano da comissão técnica


Esse é um fator que não é tão preocupante, mas é para ficar de olho. É normal uma franquia oscilar na primeira temporada de uma comissão técnica, pois há uma mudança no playbook ofensivo e defensivo, ainda mais sendo um Head Coach que fará sua estreia na liga no cargo. Brandon Staley nunca foi Head Coach em sua carreira, seu cargo mais importante até o momento foi como coordenador defensivo dos Rams, onde foi muito bem. Porém agora terá o desafio de comandar não só um setor, mas sim um time inteiro.


Como dito antes, é normal a equipe oscilar, não são todos os times que se adaptam rápido ao playbook como os Packers com Matt Lafleur, que ficaram 13-3 na primeira temporada do head coach a frente da equipe por exemplo. Porém se os Chargers pensam em voos mais altos já essa temporada, essa oscilação tem que ser a menor possível.


Brandon Staley créditos Mike Nowak / Los Angeles Chargers

Enfim, os Chargers melhoraram em muitos setores comparado aos últimos anos e tem tudo para terem uma campanha positiva e quem sabe até chegar na pós temporada. E ai torcedor, os Chargers poderão surpreender essa temporada?

BANNERLATERAL_TRAKTOR.png
BANNERLATERAL_FANATICA.png