• Gustavo Silva

3 fatos para se empolgar e para se preocupar nos Steelers

O Pittsburgh Steelers vem de uma temporada de altos e baixos em 2020. Começou a temporada muito bem, abrindo 11-0 nos seus primeiros 11 jogos, playoffs garantidos e time jogando bem. Porém na reta final da temporada, a produtividade do time caiu e dos últimos 5 jogos da temporada regular perdeu 4, sendo uma dessas derrotas para o rival de divisão, os Bengals, que não se classificou para a pós temporada.


Já na pós temporada, os Steelers enfrentaram os Browns no wild card da AFC e acabou sendo eliminado pelo rival de divisão, após perder por 48x37, com muitos erros principalmente ofensivos, já que Big Ben lançou 4 interceptações no jogo. Já para a temporada de 2021, trouxemos 3 fatos para se empolgar e para se preocupar com os Steelers. Confiram:


Para se empolgar


Defesa: A defesa é o principal setor da franquia. Na temporada passada foi o segundo time que mais forçou turnovers na liga, a terceira que menos cedeu jardas, também foi a equipe que mais teve tackle para perda de jardas com 103, foi a defesa que mais pressionou o quarterback adversário, e a que teve mais sacks com 56. Já a secundária da equipe também não deixa a desejar. Além de ser a defesa que permitiu o menor rating dos quarterbacks quando os enfrentam na temporada passada, com 76.7, foi a equipe que mais interceptou na liga com 18, empatado com Dolphins, Patriots e Saints. Já contra o jogo corrido, os números não são tão absurdos, porém ainda sim foi uma defesa top 10 em jardas terrestres cedidas, com 1783.



Jogo terrestre: Um dos principais fatores que preocupavam os Steelers era o seu jogo terrestre. Foram o quinto time que menos tentou correr com a bola, com apenas 373 tentativas, e foi a equipe com menos jardas terrestres da liga com 1351, com uma diferença maior que 100 jardas do penúltimo colocado na estatística, o Houston Texans que correu pra 1466 jardas. Porém isso deve mudar para a temporada de 2021, já que os Steelers draftaram na primeira rodada o RB Najee Harris de Alabama. Considerado por muitos como o melhor RB da classe, Harris chega na franquia pra suprir a principal fragilidade ofensiva da equipe, podendo elevar o nível do ataque dos Steelers.



TJ Watt: O segundo colocado da premiação de jogador defensivo do ano na temporada passada e líder dessa ótima defesa dos Steelers, TJ Watt vem de uma temporada espetacular com a franquia. O jogador liderou a liga em sacks na temporada passada com 15, foi o jogador com mais QB hits com 41 e quem mais teve tackles para perda de jardas, com 23. Se continuar em alto nível e com essa agressividade, TJ Watt tem tudo para novamente concorrer ao prêmio de defensor do ano em 2021, e ajudar a defesa da franquia a continuar entre as melhores da liga.



Para se preocupar


Quarterback: Uma das posições que a franquia precisa começar a ficar de olho é em seu quarterback. Big Ben começou bem temporada passada porém foi caindo muito de rendimento durante os jogos, foi apenas o 20° quarterback da liga em passes completos, com 65.6%, e foi interceptado 10 vezes durante a temporada, muitas vezes o braço do quarterback parecia não ser mais o mesmo em jogadas de passes em profundidade, a idade já parece pesar para o ídolo dos Steelers. Já no banco, os Steelers trouxeram Dwayne Haskins durante a off season, jogador que desde que chegou na liga não conseguiu se firmar, e possui mais interceptações (14) do que passes para touchdown (12) na carreira. E ainda tem Mason Rudolph, que jogou boa parte da temporada em 2019 quando Big Ben se lesionou, jogou 10 jogos e completou 62.2% dos passes, passou para 13 touchdowns e 9 interceptações além de um rating de 82.2.



Linha ofensiva: Os Steelers perderam na offseason 3 nomes importantes de sua linha ofensiva: Alejandro Villanueva, Matt Feiler e Maurkice Pouncey. Com isso, a equipe trouxe dois jogadores de linha ofensiva no draft para recompor as perdas: Kendrick Green, OL de Illinois, e Dan Moore, OT de Texas A&M.


Com essa reformulação no setor, apenas David DeCastro e Zach Banner da linha ofensiva titular da temporada passada – a que menos cedeu sacks na liga - permanecem no time. Para funcionar, o desempenho do LT Chukwuma Okafor será uma peça chave, além da mudança de posição do rookie Kendrick Green, que deverá jogar de center na sua temporada de calouro. Além de ter a função de proteger o Big Bem que não é um quarterback móvel, a nova linha ofensiva terá a missão de conseguir abrir espaços para Najee Harris poder correr com a bola.



Recebedores: Os drops foram um dos principais problemas do time na última temporada. Apesar do rookie Chase Claypool ter se saído muito bem em sua temporada de estreia na liga, Juju Smith-Schuster não consegue se firmar como WR1, teve apenas 51.9 jardas recebidas por jogo e 831 jardas na temporada, segunda menor marca do jogador desde que entrou na liga em 2017. Em ambas as estatísticas o WR1 teve números menores do que o Claypool, WR2 e rookie, que teve 54.6 jardas por jogo e 873 jardas na temporada. Apesar disso, Juju conseguiu a recepção em 75.8% das vezes em que foi alvo de passe, já Claypool recebeu apenas 56.9%.

BANNERLATERAL_TRAKTOR.png
BANNERLATERAL_FANATICA.png